Publicado em: Pecuária

Carcaça de qualidade: resultado de investimento genética e nutrição

 

Maior abate do ano no Circuito Boi Verde, etapa de Colatina surpreende pela qualidade dos animais abatidos

Fotos Cláudia Monteiro

No interior do Espírito Santo, em Colatina, foi realizado esse mês o segundo abate do estado, promovido esse ano pela Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), com apoio da Associação Capixaba dos Criadores de Nelore (ACCN), 16º desde o início do projeto.  Foram 835 animais abatidos de dois criatórios. O criador Dalton Dias Heringer levou o mais bem avaliado lote, e o criador Arthur Coutinho foi premiado pelo segundo melhor conjunto.

Campeão Nelore Heringer Guilherme, Victor e Nabih

“O mercado consumidor demanda cada vez mais qualidade, o que é resultado de animais jovens, bem acabados, que resultam em carne de qualidade, macia e saborosa. É esse o foco constante de nosso trabalho”, contam Arthur e Henrique Arprini Coutinho, que trabalham com compra e terminação de bezerros, e são sócios do Frigorífico Frisa, onde o abate foi realizado, no dia 20 de outubro.

Para o zootecnista e Supervisor de Pesquisa da Fertilizantes Heringer, Humberto Luiz Wernersbach Filho, o abate é uma oportunidade de mostrar o resultado das tecnologias em confinamento, em manejo de pastagens e adubação. “Um abate técnico é sempre um motivo de muito orgulho para nós da Nelore Heringer pela pontuação, por querer galgar o circuito nacional e, sobretudo, para Fertilizantes Heringer, que é uma empresa que preza por esse trabalho, preza pelo rendimento do pecuarista para que ele possa usar uma tecnologia mais acessível, crescendo em produtividade. O que é visto aqui no abate técnico é resultado do que é feito na fazenda”, afirma.

 

Os lotes foram abatidos e analisados por uma equipe técnica, acompanhada por público de quase 200 pessoas, entre fornecedores de insumo, professores, estudantes de ciências agrárias de universidades de Minas Gerais e Espírito Santo e representantes do Governo do Espírito Santo ligados ao setor rural, técnicos, pecuaristas e imprensa.

Do total de 835 animais abatidos na etapa, 35% de animais tinham zero dentes (até 18 meses),e a maioria, 89% eram animais de até 24 meses. Guilherme Alves, gerente técnico da ACNB, foi o responsável pela etapa e se surpreendeu com a qualidade apresentada. “Foram lotes bem jovens, que é o ideal para a pecuária. Quem quer fazer uma pecuária lucrativa, tem que abater seus animais cedo. E sabemos que para conseguir esse resultado é necessária genética e boa nutrição”, garante.

Guilherme Alves, da ACNB

“Conseguimos chegar a um índice de 65% da classificação considerada excelente, o que é muito bom. E o melhor é a promoção e o estímulo a outros pecuaristas, para que eles também integrem esse circuito e, desta forma, passem a produzir com qualidade superior”, afirma Nabih Amin El Aouar, presidente da Nelore Capixaba.

Toninho Serrano, Silvio Brotas, Nilton Maciel e Victor Miranda  

Victor Miranda com pecuaristas da regiaão analisando os lotes prontos na câmaras de resfriamento

“Agradecimento especial a todos que colaboraram para que esse abate pudesse acontecer. Não é fácil fazer um abate desse nível no estado e esse é o segundo desta etapa no Espírito Santo, 16º na história. Nosso estado é pequeno na proporção, não temos capacidade de competir em quantidade, mas estamos trabalhando muito pela qualidade. Já temos data agendada para o último final de semana de agosto de 2018, programamos tudo com antecedência para que todos possam participar”, finaliza Victor Miranda diretor agropecuário do grupo Heringer.

Organizadores do evento