Publicado em: Pecuária

Dinapec 2018 contará com novas tecnologias desenvolvidas no Pantanal 

A tradicional Dinâmica Agropecuária da Embrapa reserva novidades tecnológicas para os produtores rurais pantaneiros em 2018. Nos 35 hectares que constituem a feira, o visitante encontrará tecnologias para uma produção integrada e sustentável que contribuem na redução dos gases de efeito estufa (GEE) e, entre elas, algumas desenvolvidas pela Embrapa Pantanal.

A 13ª edição do evento ocorrerá nos dias 7, 8 e 9 de março na Embrapa Gado de Corte em Campo Grande, MS, e terá como tema principal a Agropecuária de Baixo Carbono. As inscrições para os roteiros tecnológicos, oficinas e demais atividades estão disponíveis no site oficial do evento: http://dinapec.com/dinapec-2018/ . Acesse e confira a programação completa!

Avanços na Pecuária: +Cria

Em meio à variada programação oferecida durante o evento, os pesquisadores da Embrapa Pantanal (Corumbá/MS) Urbano Abreu e Juliana Corrêa Borges Silva apresentarão dados recentes de pesquisas no “Roteiro tecnológico +Precoce: Novos resultados”, que ocorrerá durante os três dias da feira: no dia 7 das 14h às 16h e nos dias 8 e 9 das 9h às 11h.

Com duas horas de duração, o roteiro contará com uma abertura sobre o Arranjo +Precoce. Na sequência, Juliana falará sobre os novos resultados com uso de sêmen refrigerado na IATF. “Estarei apresentando os dados obtidos no +Cria referente às taxas de prenhez com utilização do sêmen refrigerado, bem como o prazo para a utilização. Temos testado com 24 e 48 horas, obtendo números muito bons”, adianta a pesquisadora.

O próximo ponto do roteiro será conduzido pelo pesquisador Urbano Abreu, que trará as novidades econômicas de sistemas intensificados por meio de IATF e desmama precoce no Pantanal. Segundo o pesquisador, o participante do roteiro vai conhecer um trabalho de pesquisa realizado em uma Fazenda no Pantanal, onde essas tecnologias foram inseridas no sistema de produção e testadas em casos reais junto com o produtor, com acompanhamento econômico e ambiental, proporcionando uma intensificação de produção sustentável. “São tecnologias que impactam minimamente o meio ambiente, social e economicamente muito favoráveis”, explicou Urbano.

O roteiro contará, ainda, com a apresentação de Marcio Bonin e Rodrigo Gomes, ambos da Connan - parceira da Embrapa e patrocinadora da DINAPEC. Depois, Gilberto Menezes apresentará os resultados de projeto de cruzamento de touros Senepol, Guzerá e Caracu em vacas Nelore e Cruzadas, seguido por um encerramento e mostra dos animais do projeto de cruzamento de touros Wagyu, Angus, Limousin em vacas Nelore e Cruzadas.

Plataforma digital GeoHidro Pantanal

Nos dias 8 e 9 de março, das 9 às 11h, durante a oficina "GeoHidro - Pantanal", o pesquisador Carlos Padovani apresentará novidades para os interessados na obtenção de informações atualizadas referentes ao ciclo de inundações, cheias e secas, índice e previsões de chuvas e dados de monitoramento hidrológicos e meteorológicos da Bacia do Alto Paraguai (BAP).

O pesquisador da Embrapa Pantanal explica que a oficina tem o objetivo de apresentar ao público esta nova ferramenta on-line desenvolvida pela Embrapa. Na plataforma digital GeoHidro-Pantanal, o produtor encontrará a reunião de informações climatológicas, coletadas em diversas fontes de referência nacionais e internacionais, tais como Inpe, ANA, Nasa, entre outras. “O grande diferencial desta ferramenta é que todos esses dados tratarão especificamente da região da BAP e estarão organizados e disponibilizados por meio de uma linguagem clara e de fácil interpretação. Os usuários poderão pesquisar informações sobre uma determinada área geográfica, rio, cidade ou fazenda que integrem a BAP no Pantanal, cruzando os dados de interesse. A plataforma contará, também, com um sistema de suporte de tomada de decisão, a ser desenvolvida no projeto “Pecuária do Futuro” em parceria com a Embrapa Pecuária Sudeste e que será composto por um conjunto de dados de chuva, nível e vazão de rios, áreas inundadas e outros que visam auxiliar o produtor rural em seu trabalho com a pecuária e agricultura na região, bem como o poder público e a população local como um todo em seu dia a dia”, detalha Padovani.

Durante a capacitação, os participantes da oficina aprenderão mais sobre o que é, como funciona e como interpretar os dados de mapas ilustrativos, tabelas, gráficos, imagens de satélite e demais conteúdos que compõem a plataforma GeoHidro Pantanal.

Sobre a Dinapec 2018

A realização da Dinâmica Agropecuária tem o apoio das seguintes instituições: Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (IAGRO), Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (SEDESC), Fundo para o Desenvolvimento das Culturas de Milho e Soja de MS (FUNDEMS), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Fundação MS, Fundação Chapadão, Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária e Ambiental (Fundapam), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/MS), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Rede ILPF, Geneplus, Tramasul, Coimma, Companhia Nacional de Nutrição Animal (Connan), Sistema Brasileiro do Agronegócio e DBO. O patrocínio é da Associação para o Fomento à Pesquisa de Melhoramento de Forrageiras (Unipasto), do Banco do Brasil e do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com realização da Embrapa e Sistema Famasul.

A Dinapec é uma vitrine de tecnologias que acontece anualmente na Embrapa Gado de Corte em Campo Grande (MS), aberta a técnicos, produtores e acadêmicos dispostos a conhecer as soluções tecnológicas desenvolvidas pela pesquisa agropecuária para os diversos sistemas de produção. O encontro visa compartilhar conhecimento e soluções para o agro nacional.

Fonte: Raquel Brunelli d´Avila/ Embrapa Pantanal

Foto: Carlos Lopes