Publicado em: Pecuária

Melhoramento genético do rebanho nelore

Por Alexandre El Hage

Vice-presidente da Associação dos Criadores Nelore de Mato Grosso (ACNMT), zootecnista, pecuarista e empresário em Cuiabá

neloremt@terra.com.br

 

Nove meses depois do seu início, em junho de do ano passado, a Associação dos Criadores Nelore de Mato Grosso (ACNMT) vai encerrar com sucesso a maior prova de ganho de peso a pasto (PGP) do estado.

Nos dias 27 e 28 de março será a pesagem final na Fazenda Luar, em Cuiabá, e no dia 15 de abril vamos apresentar para os pecuaristas os dados totais da prova. Ao todo, são 139 animais, de 35 criadores de Nelore, que estão participando do evento que visa alavancar a qualidade genética do rebanho estadual.

Com isso, esperamos incrementar o mercado de produção da carne mato-grossense e também o brasileiro. É importante frisar que o Estado possui o maior rebanho bovino no país, com aproximadamente 30,3 milhões de animais, cerca de 90% da raça Nelore, mas enfrenta dificuldades logísticas para exportação.

Tivemos grandes parceiros nessa iniciativa, que foram a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat). Além de apresentar os resultados obtidos, a associação também fará um leilão no mês de outubro deste ano com os melhores animais.

Além de ser uma das principais ações no planejamento estratégico da Nelore MT, a realização da prova é uma importante ferramenta para a evolução da pecuária de corte. Os investimentos em melhoramento genético da PGP mostram que os animais participantes saem disseminadores de rico material genético.

Então, a associação testa e disponibiliza ao mercado touros jovens com alto desempenho produtivo e com biótipo adequado à produção de carne. Os resultados poderão servir como instrumento de seleção entre rebanhos e auxiliar nas avaliações e testes de progênies de reprodutores em Mato Grosso.

Participaram da prova animais nascidos entre 08 de agosto e 04 de novembro de 2017, que tiveram, inicialmente, 70 dias para adaptação ao novo ambiente em condições ambientais e com técnica de manejo iguais a todos. Eles entraram na competição ainda bezerros recém-desmamados, mas, chegam ao final ‘tourinhos’.

Aqueles que superarem a média de peso do rebanho serão considerados superior e de elite. Os que atingem a média do rebanho são os regulares e abaixo são os inferiores. Além das vantagens de certificação de qualidade comprovada, a participação na prova também credencia o produtor a ter seus melhores animais comercializados no leilão de elite.

O encerramento será feito após 290 dias de prova. Nesse período, todos foram submetidos ao uso da mesma nutrição, sanidade e manejo, com pesagens no início e três intermediárias. Isso significou um incremento de animais melhoradores por meio de condições ambientais idênticas e nutricionais, dentro de um sistema economicamente compatível com a realidade do manejo estadual.

Estamos realmente empenhados em promover uma verdadeira investigação genética que comprove que esses animais estão em uma categoria diferenciada. Entre os itens de desempenho avaliados estão: linhagem genealógica, prova de ganho de peso, com ganho médio diário, circunferência escrotal e fenótipo, tendo como finalidade identificar entre os participantes os de melhor desempenho global no peso final padronizado.

Para este ano, nós temos ainda vários investimentos programados com o intuito de incentivar a participação dos criadores, pois acreditamos que a evolução e o constante crescimento da pecuária de corte se devem, principalmente, aos investimentos em melhoramento genético.

Quem ganha com isso? Além de toda a cadeia produtiva da carne, também o consumidor final, que terá acesso a produtos de melhor qualidade, produzidos em condições socioambientais igualmente adequados.